segunda-feira, 24 de setembro de 2007

INTRODUÇÃO

A maioria dos países da África Subsaariana está na categoria de países com Renda Nacional Bruta (RNB) inferior a US$ 765 per capita por ano. Mesmo países com renda média possuem boa parte de sua população vivendo na pobreza. No norte da África, as condições são um pouco melhores do que ao sul do Saara. Lá estão as economias mais estáveis, comércio e turismo são relativamente altos e há uma menor incidência de Aids.
A África recebe cerca de um terço do total de ajuda dada por governos em todo o mundo, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Boa parte da ajuda vem com condições, ou seja, os governos que a recebem têm que implementar determinadas políticas para recebê-la ou gastar os recursos comprando bens e serviços do país doador. O Banco Mundial alega que a ajuda é muito mais eficaz e menos vulnerável à corrupção quando atrelada à melhoria da forma de governar. Houve uma redução drástica nos gastos dos países ricos em ajuda no final da década de 90.
O continente é rico em recursos naturais como minérios, madeira e petróleo, mas o comércio com o resto do mundo costuma ser difícil. Entre as causas estão infraestrutura precária, instabilidade governamental, o impacto da Aids na população em idade economicamente ativa e a corrupção. Segundo a Transparência Internacional, oito dos 20 países onde há maior corrupção são africanos e o país na África Subsaariana onde o problema é menos grave é a África do Sul, em 44ª lugar no ranking. Países mais pobres e ONGs como a Oxfam também alegam que as regras de comércio internacional são injustas.
De acordo com os americanos, os africanos em geral são membros não-civilizados de tribos. E de fato isso não foge muito da realidade. A África é o local ideal para a proliferação de doenças e instalação de cortiços, tráfico de diamantes, crime e fezes. Em muitos países africanos fica evidente o grande fosso da miséria humana.
Kamilla Carvalho

Um comentário:

Igor de Paula disse...

gostei,pois era um trabalho que eu ia fazer e quase nao achei